Saturday, 24 January 2009

Adiós Guantánamo


Já no segundo dia de seu mandato, Obama assinou ordens executivas, banindo a tortura e todas os tribunais militares, e estipulando o fechamendo da prisão de Guantánamo [mais do mesmo aqui] dentro de um ano. Sexta-feira, proibiu as detenções secretas que a CIA fazia.

A CIA usa como evidência usar o modelo Casio F91W como relógio de pulso. Eles são baratos, duráveis, a prova d'água. Aquele digital preto que tem em qualquer camelô, visualizaram? Meio mundo, principalmente o pobre, usa. Mas como é bastante usado para detonar bombas também, 28 pessoas estão detidas em Gitmo por usarem esse relógio.

Um ex-detento do Gitmo recebeu esse bilhete quando foi liberado [fonte]:

"Uma Junta de Revisão Administrativa revisou a informação sobre você que foi falada na reunião de 2 de Dezembro de 2005 e o deciding official dos EUA fez uma decisão sobre o que vai acontecer com você. Você será enviado para o Afeganistão. Sua partida ocorrerá assim que possível."

Em vez de alegações, acusações; são "informações". Em vez de julgamento, veredito; "uma decisão sobre o que vai acontecer com você". Em vez de um juiz ou algo parecido, um "deciding official".

Imagina estar em sua casa e acordar preso pelos EUA, com um uniformezinho laranja por usar um relógio baratinho que todo mundo tem, ser torturado e quando vai embora, recebe uma bilhete desses?



Totalitarismo total. Direitos Humanos pela latrina.

Ainda não fez uma semana de mandato e Obama já fez coisa boas. Nada mirabolante [como o fulano lá no Brasil que quando começou, criou o Fome Zero. Parece que ainda existe esse programa por lá], super concreto, possível e pé no chão. No mesmo dia, a secretária de Estado, no seu dircurso para apresentar os special envoys para Oriente Médio e Afeganistão/Paquistão, além de outras coisas, disse que esse governo usaria seu poder mais sabiamente nas suas relações internacionais.

Soa-me inteligente e responsável. Gostei bastante.

Obama é filho de queniano [já viram a avó dele?], morou na Indonésia quando jovem, então tem uma noção do que seja um país pobre e é um pouco mais internacional que o predecessor texano.

Claro que não é tão mar de rosas assim. A Anistia Internacional lançou um checklist de ações para Obama fazer nos seus primeiros 100 dias. São 17 "desafios" lançados, incluindo uma decisão clara sobre o que será feito com os 250 detentos que estão em Gitmo ainda - alguns sofrem perseguição em seus países; e também para que abra uma sindicância independente nos EUA para as detenções feitas em nome da war on terror. A pressão precisa continuar.

Wednesday, 21 January 2009

Às vezes a língua inglesa deveria utilizar ideogramas chineses para sua escrita.

É um outdoor do concurso de soletrar do Times. Como esqueci minha máquina fotográfica no Brasil, tive que anotar essa palavra no meu caderninho para poder procurar no Google quando chegasse em casa.

Não achei nenhuma foto do outdoor. Só achei isso, que mostra a mesma mensagem [Deixei essa imagem super cafona para dar um climão kitsch]. Enjoy.

If GH can stand for "P" as in hiccough,
and OUGH stands for "O" as in dough,
and PHTH stands for "T" asin phthisis,
and EIGH stands for "A" as in neighbor,
and TTE stands for "T" as in gazette,
and EAU stands for "O" as in plateau,
then the right way to spell POTATO should be:

GHOUGHPHTHEIGHTTEEAU

Friday, 16 January 2009

Der Baader Meinhof Komplex


Desde que saiu o filme, quando botaram o cartaz bem grande no quadro de aviso da minha escola de alemão, estou querendo vê-lo. Mesmo sem saber muito do que se tratava.

Como o filme é em alemão e ainda meu alemão não me permite ver um filme [estou começando a deixar de ler livros infantis para ler livros infanto-juvenis], tentei umas 300 vezes encontrar na internet a versão com a legenda, ou só a legenda ou qualquer coisa parecida que eu possa entender o filme. E nada.

No fim me deparei com o livro e fui obrigado a lê-lo. Acabei de ler hoje.

O que me impressiona é tentar entender como essas pessoas encontram essa motivação de largar o mundo inteiro - família, filhos, comodidade etc - para poder entrar numa luta surreal contra uma coisa super virtual e complexa, que ninguém entende muito como funciona toda a coisa junta, o modus operandi do status quo. Em latim mesmo. Era a luta de 6 contra 6 milhões.

O pai de Gudrun Ensslin - pastor luterano , uma vez entrevistado quando a filha estava começando a fazer barulho, disse que via na filha uma forma de auto-realização eufórica, uma auto-realização sagrada, comparada a êxtase divinos de santos. Sentir-se responsável a ter que mudar o mundo.

Comentei com meu pai sobre o livro e comentei de achar incrível a motivação desse povo que saíram de suas bolhas de conforto para cair no mundo underground e tentar deixar um país em estado de caos. Ele disse que naquela época essa motivação era bem mais comum e que hoje em dia não tem mais isso.

Acho compreensível quando o contexto é, por exemplo, o Brasil sob a ditadura militar e paupérrimo como sempre. Mas da Alemanha, que nasceram com tudo já na mão?

Motivações a parte, o livro é fantástico. Conta a história real com riqueza de detalhes. Em vez de parecer um relato-documento massante, o livro ficou com cara de ficção policial, daquelas bem boas que não dá para parar de ler.

Falta ver o filme. Já saiu de cartaz aqui. Acho que só comprando o DVD agora. Se acharem versão em inglês do filme na internet, me avisem.

Monday, 12 January 2009

Buraco Negro das ligações internacionais

Já aconteceu isso 3 vezes comigo.

Pra ligar de Londres para o Brasil, existe algumas empresas que fornecem um número local [como essa] para poder discar o número desejado e paga-se uma pechincha pela ligação.

A primeira vez foi no começo do ano quando tentava ligar para um celular de um amigo. Depois de discar todos os 347 números, toca várias vezes e atende uma menina. Ela fala "alô? só um minuto." e berra "tem telefone para você, vem logo!" E no fundo fica um som de como se ela estivesse vendo TV. De vez em qdo ela berra "anda, a ligação tá esperando!" ou "você tá aí?!", e de vez em qdo ela vem no telefone e fala "só um minuto."

Na primeira vez, fiquei esperando uns 15 minutos e como ele não vinha, abusei e desliguei. Falei com ele depois no MSN e ele disse que não tinha recebido nenhuma ligação minha.

Na segunda vez, fui ligar para outro amigo usando outra companhia que fornece o mesmo serviço. Atende a mesma moça que tá vendo TV que chama, chama e nada. Chamei a moça várias vezes e ela não respondia. Desliguei, depois de uns 5 minutos e já fiquei com uma pulga atrás da orelha. Liguei novamente pra esse amigo, a ligação completou normal, consegui falar com ele e até comentei essa coisa bizarra.

Na terceira vez, agora antes de vir para cá, a mesma moça vendo TV atendeu e notei que ela fala "alô? só um minuto" mas não deixa eu falar e caiu a ficha: era uma gravação. Desliguei na hora.

E isso me deixa com várias perguntas. Como que isso funciona? Quem gravaria uma mensagem dessas? Qual seria o objetivo? Será que financeiro, mesmo que a ligação valha mixaria? Qual o critério para escolher a ligação que cai nessa gravação?

Alguém tem alguma sugestão?

About Me

My photo
London, United Kingdom

Blog Archive


#